© Luca Martinucci
© Luca Martinucci

Radix

Instalação na 13ª Biennale di Venezia

J—A

Arquitectos: Francisco e Manuel Aires Mateus

Ano: 2012

Local: Docas do Arsenale, Veneza, Itália

Originalmente, a instalação foi concebida para criar um diálogo com as galerias do Arsenale e a água. É uma estrutura de ferro apoiada em três pontos, com uma parte dourada e outra oxidada. A peça teve um custo total de €50.000, foi financiada e realizada pela Jofebar e pela Metaloviana, e regressou a Portugal após o evento. A Jofebar quis oferecê-la a uma entidade pública, para lhe dar uma nova vida enquanto peça escultórica. A opção foi desaprovada pelos autores que procuram dar-lhe outro destino. Até hoje, permanece armazenada nas instalações da Metaloviana. Esta é uma situação que nos faz questionar a vida deste tipo de instalações pós-evento.

© Luca Martinucci
© Luca Martinucci
© João M. Pereira

Os Pavilhões do Parque

João M. Pereira

Arquitecto: Rodrigo Maria Berquó

Ano: 1893

Local: Parque D. Carlos I, Caldas da Rainha

Estalagem da Serreta

Rita Borges

Arquitecto: João Correia Rebelo

Ano: 1969

Local: freguesia da Serreta, concelho de Angra do Heroísmo, Ilha Terceira, arquipélago dos Açores, Portugal

© Pedro Silva

Cine–Teatro e Salão de Festas Dr. Morgado

Pedro Manuel Silva

Arquitectos: Carlos Duarte e José Lamas

Design de Equipamento: Daciano da Costa

Ano: 1981 (projecto) 1983 (conclusão)

Local: Avenida dos Descobrimentos, Oliveira de Frades, Portugal

Edifícios Esquecidos no J—A

Procuramos propostas

Legend

Lisboscópio / Albergue da Liberdade

J—A

Arquitecto: Pancho Guedes

Ano: 2008

Local: VLisboa, Torres Vedras

© Luís Torgal

Pavilhão de Portugal da Exposição Universal de Sevilha’92

J—A

Arquitectos: Manuel Graça Dias + Egas José Vieira

Ano: 1989 (concurso) 1992 (conclusão)

Local: Calle Isaac Newton, Isla de la Cartuxa, Sevilha, Espanha